Eles querem ser pais

26

Pais

Para quem pensava que homens solteiros não desejam compromisso e, muito menos, filhos, o resultado de uma pesquisa feita pelo site de relacionamentos Par Perfeito é, sem dúvida, surpreendente.

Em entrevistas a quase 20 mil de seus clientes à procura de um par, para saber o que, de fato, desejam, o site descobriu que 65% das mulheres solteiras, entre 18 e 25 anos, desejam ser mães. O que não se esperava era a superação em quatro pontos percentuais em relação ao desejo da ala masculina. Isso mesmo, 69% deles, com a mesma faixa etária, desejam ser pais. Em relação a pessoas mais velhas, entre 36 e 45 anos, não foi diferente. Os homens demonstraram um desejo em ter filhos, duas vezes maior que as mulheres. A porcentagem foi de 39% deles, contra apenas 19% delas.

Bem, se há alguns anos atrás chegar aos 30 anos significava, para as mulheres, ser mãe, ao que parece, as coisas estão um pouco mudadas. Para a antropóloga e professora da USP, Heloisa Buarque de Almeida, esse comportamento está ligado à mudança do status feminino na sociedade.

“No Brasil, normalmente são as mulheres profissionais de camadas médias e altas que tendem a adiar mais a maternidade do que antigamente. Isso porque esse grupo social reconhece na maternidade um empecilho a algumas atividades hoje valorizadas, como a carreira, que é vista também como um espaço de realização individual feminina, além da maternidade”, comentou Heloisa em entrevista à revista Marie Claire.

PaisOutra surpresa vinda da ala masculina e expressa em números na pesquisa do Par Perfeito foi o nível de romantismo. Sobre a quase mítica paixão à primeira vista os moçoilos também lideraram. Entre os rapazes de 18 a 25 anos, 74% afirmaram já ter se apaixonado no primeiro encontro, enquanto 65% da ala feminina admitiu ter passado por tal situação.

Ao que parece estamos vivendo uma inversão do que se tinha antes. As mulheres estão endurecendo muito ou, realmente, os homens estão se tornando mais afetivos e sensíveis? Em relação à vontade de ser pai, a explicação é uma questão cultural. Os homens de hoje foram criados para exercer a paternidade em sua plenitude. Não querem apenas ser modelos, como eram seus pais. Desejam fazer parte, de fato, da vida de seus filhos.

Para o professor de pós-graduação em Psicologia Clínica da PUC-SP e autor de “O Pai Possível – conflitos da paternidade contemporânea”, Durval Luiz de Faria, a paternidade, hoje, faz parte da agenda dos homens pós-modernos.

“Eles, hoje, dão muito mais valor à paternidade do que nas décadas da primeira metade do século passado. Eles cuidam dos filhos e expressam carinho não apenas de longe, mas também fisicamente. Começa a haver espaço na cultura para que o homem seja cuidador e isso o leva a querer ter filhos antes delas”, explicou Durval Faria em entrevista à Marie Claire.

You might also like More from author

No Comments

Leave A Reply

Your email address will not be published.